segunda-feira, 27 de julho de 2009

Manifesto Movimento Música para Baixar


Circula pela Internet um abaixo assinado que defende a música livre. Eu concordo plenamente com o papel dos "divulgadores", antes chamados de "piratas". Sempre defendi essa posição, afinal de contas 99% das bandas que eu consumi nos últimos tempos eu conheci através da internet.

A idéia original do manifesto é do blog do Leoni e do Marcelo Pereira http://musicaliquida.blogspot.com/ e a página para assinar é:


http://www.petitiononline.com/mpb/petition.html


Segue abaixo o manifesto na íntegra:

To: Para todas as pessoas que entendem o novo mundo da música

Manifesto Movimento Música para Baixar

"É a partir do surgimento da democratização da comunicação pela rede cibernética, que a conjuntura na música muda completamente.

Um mundo acabou. Viva o mundo novo!

O que antes era um mercado definido por poucos agentes, detentores do monopólio dos veículos de comunicação, hoje se transformou numa fauna de diversidade cultural enorme, dando oportunidade e riqueza para a música nacional – não só do ponto de vista do artista e produtor(a), como também do usuário(a).

Neste sentido, formamos aqui o movimento Música para Baixar: reunião de artistas, produtores(as), ativistas da rede e usuários(as) da música em defesa da liberdade e da diversidade musical que circula livremente em todos os formatos e na Internet.

Quem baixa música não é pirata, é divulgador! Semeia gratuitamente projetos musicais.

Temos por finalidade debater e agir na flexibilização das leis da cadeia produtiva, para que estas não só assegurem nossos direitos de autor(a), mas também a difusão livre e democrática da música.

O MPB afirma que a prática do “jabá” nos veículos de comunicação é um dos principais responsáveis pela invisibilidade da grande maioria dos artistas. Por isso, defendemos a criminalização do “jabá” em nome da diversidade cultural.

O MPB irá resistir a qualquer atitude repressiva de controle da Internet e às ameaças contra as liberdades civis que impedem inovações. A rede é a única ferramenta disponível que realmente possibilita a democratização do acesso à comunicação e ao conhecimento, elementos indispensáveis à diversidade de pensamento.

Novos tempos necessitam de novos valores. Temas como economia solidária, flexibilização do direito autoral, software livre, cultura digital, comunicação comunitária e colaborativa são aspectos fundamentais para a criação de possibilidades de uma nova realidade a quem cria, produz e usa música.

O MPB irá promover debates e ações que permitam aos agentes desse processo, de uma forma mais ampla e participativa, tornarem-se criadores(as) e gestores(as) do futuro da música.

O futuro da música está em nossas mãos. Este é o manifesto do movimento Música Para Baixar."
http://www.petitiononline.com/mpb/petition.html

sábado, 18 de julho de 2009

Butterfly Boucher – Flutterby

Ouvi uma música do novo álbum dessa cantora australiana, gostei, e resolvi ouvir o primeiro álbum inteiro.

Vivo repetindo aqui que gosto muito de cantoras, gosto de rock e de melodias bem trabalhadas, ah, e gosto também de elementos diferentes e novos. Essa frase acima resume o que é o som de Butterfly Boucher e explica porque gostei tanto dela.

O álbum tem 12 músicas e 8 boas músicas. As quatro que ficam de fora, só ficam pois são músicas lentinhas demais para uma cantora com tal vocação para o rock.

Pra começar “Life is Short”, forte e com bom refrão, resume o que vem pela frente e prepara para a ótima “Can You See The Lights” que com uma guitarra crua mostra um perfil mais alternativo da cantora que mesmo assim não deixa de grudar seu refrão no ouvido. Pulamos uma e vamos para o hit “Another White Dash” que soa como se já tivéssemos a escutado em algum lugar, sua introdução meio dissonante esconde um poderoso refrão com rif marcante de guitarra, paradinhas lentas onde a voz dela pode brincar a vontade.

“Soul Black” com uma dinâmica única me lembrou em alguns momento nada menos que o Rush, com um pouco mais de suingue, muito boa de ouvir. Em seguida, vem a baladinha melancólica “A Walk Outside” uma das melhores do álbum. “Busy”, “A Beautiful Book” e “Never Let It Go” perdem um pouco o pique das anteriores mas também são boas de ouvir.

Apesar de não parecer, Seu nome verdadeiro é esse mesmo. BB começou tocando baixo na banda da irmã e literalmente foi para a estrada na Europa. Depois de muito viajar e experimentar decidiu fazer carreira solo e, em 2003 lançou esse primeiro álbum “Flutterby”.

Butterfly Boucher faz um som melódico, bom de ouvir e ainda consegue trazer elementos novos em cada canção. Vale a pena escutar.

Life is Short by Butterfly Boucher on Grooveshark


Ocorreu um erro neste gadget