quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Keane - Perfect Symmetry

Gostei de Keane desde a primeira música que ouvi, “Somewhere Only We Know”, na verdade, vi um clipe, depois fui atrás e consegui o Cd, “Hopes And Fears”, que eu considero um dos melhores álbuns que escutei. Veio o segundo álbum, “Under The Iron Sea”, que, apesar de ser um pouco inferior ao primeiro, ainda é muito bom. Para completar fui ao show dos caras quando vieram ao Brasil, que também foi um show que superou minhas expectativas.

Portanto dois álbuns muito bons e mais uma apresentação competente ao vivo, credenciaram o Keane a figurar, para mim, como uma das bandas mais promissoras da atualidade.


O que esperar do terceiro álbum? Na verdade eu esperava até um álbum um pouco inferior aos dois primeiros, mas...


“Perfect Symmetry” é um álbum péssimo! O Keane se perde em suas próprias limitações. A bateria soa excessivamente eletrônica e parece um jogo japonês, a voz tem excessivos efeitos e fica irreconhecível, e até o piano é pasteurizado em teclados sem inspiração. Tudo isso com a sonoridade mudando de música para música fazendo com que não haja identidade sonora. Cheguei a me perguntar se estava escutando o mesmo álbum desde o início ou havia trocado no Ipod, “sem querer”.


Mas ainda assim, para quem quiser se arriscar meu conselho é ouvir, na edição Deluxe do álbum, apenas as faixas Demo, que estão mais realistas e com menos efeitos, mas ainda assim, o álbum é ruim e sobram 2 músicas escutáveis, o resto é lixo mesmo!


Uma pena, pois talvez, devido ao sucesso e à juventude da banda, o Keane tenha sido forçado a enveredar por um estilo mais Pop e tenha se apressado em lançar este álbum.

Eu fico, sem pressa, mais alguns anos escutando “Hopes And Fears” e “Under The Iron Sea”.




Ocorreu um erro neste gadget