sábado, 12 de abril de 2008

The Kooks - Konk

O primeiro álbum que ouvi da banda foi o “Inside In Inside Out” que vendeu 1 milhão de cópias e emplacou o hit “Naive”. Gostei, mas não tanto para escrever um post sobre eles. Achei que faltava alguma coisa.

Mas agora com nesse segundo álbum “Konk” eles acharam. O álbum é bom do início ao fim e deixa clara qual é a proposta da banda: som Pop quase comercial, sem tendências moderninhas. Não é Indie, não é Newprog nem Britpop e nem Póspunk. Nada contra nenhum desses estilos, muito pelo contrário, atualmente os melhores sons vem dessas tendências, mas costumo dizer que às vezes é bom voltar à velha e boa simplicidade. E é isso que é o som do The Kooks: uma volta à velha e boa simplicidade.

O álbum começa com a ótima seqüência de “See The Sun”, “Always Where I Need To Be” e a baladinha anos 60 “Mr. Maker”, em seguida fica um pouco mais pesado e as guitarras ganham distorção em “Do You Wanna (make love to me)”. Acalma em “Gap” e “Love It All” para novamente ganhar pegada com a ótima “Stormy Weather”. As baladas a seguir “Sway” e “Shine On” preparam novamente para a mais forte “Down To The Market”, e daí até o final mais três músicas fecham com classe esse ótimo álbum.

The Kooks, que teve o nome tirado de uma música de David Bowie, é uma banda britânica formada em 2004. Atualmente Luke Pritchard (vocal e guitarra), Hugh Harris (guitarra), Paul Garred (bateria) e Dan Logan (Baixo) compõe a banda que foi revelação Inglesa e Irlandesa em 2006 pela MTV Europe Music Awards e teve ainda uma indicação no The BRIT Awards.


Para mim o que melhor descreve este álbum é a frase do líder da banda, Pritchard, que revela “Quero que este álbum seja grande. Eu quero que o álbum faça bem...”

E faz mesmo! É só escutar...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget