quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Smashing Pumpkins - Zeitgeist


Cdzinho safado ! Esses caras fizeram um certo "sucesso" no início dos anos 90, têm uma ótima música chamada "1979", mais uma coisa ou outra interessante, que outro dia comento por aqui, e só! A vocal é marcante mas o som é repetitivo e sem novidades. Talvez os fãs fervorosos gostem, se não for este o caso, é perda de tempo.

Capital Inicial - Eu Nunca Disse Adeus



Comecei mal, logo pela música “18”. Ela soa no mínimo falsa. Os caras estão beirando os 50 e cantam uma música que diz: “parece que acabei de chegar, tenho 18 e nem sei por onde começar”, fala de festa, acabou a bebida, os vizinhos vão reclamar, etc... Quase, quase desisti. Mas aí veio a “Altos e Baixos”, ótima! “Aqui”, “Eu e Minha Estupidez”, “Eu Nunca Disse Adeus”, e lá estava o bom e velho Capital, totalmente descartável, mas era Capital Inicial, e aí eu volto no tempo, sei lá em que ano (85 talvez), no primeiro show que fui do Capital, quando “Música Urbana” nem famosa era, numa casa chamada Metrópolis em São Conrado, torcendo para não ser barrado, para tentar explicar porque eu gosto deles. As lembranças da minha vida andam lado a lado com o som do Capital Inicial, então mesmo que seja pela razão errada, é difícil não gostar!

Bloc Party - Silent Arm


Lançado em fevereiro de 2005, o Cd Silent Arm ficou, infelizmente, dois anos e meio longe do meu conhecimento. A banda inglesa Bloc Party faz um som inacreditável. Pesado, inglês e autêntico. o som remete, ao longe, The Cure, The Clash, soa meio punk, mas não é. As duas primeiras músicas são dois socos na cara "Like eating grass" e "Helicopter" são o cartão de visitas da banda. A faixa 4 "Banquet" tem uma guitarra regulada à la "The Forest" (Cure), e por aí o Cd segue com uma produção cuidadosa e recheada de detalhes interessantes. O Cd fecha com "Compliments" que mostra o descompromisso da banda com padrões pré estabelecidos , lentinha e com uma cara de "invisible sun" (police).A surpresa final fica por conta do vocalista (Kele Okereke)
que tem voz de branquelo inglês e cara de Tracy Chapman.
Eles só fazem reforçar minha admiração pelo Rock Inglês. Recomendo o CD para qualquer um que goste de novidade e boa música. Ouça alto !
Ocorreu um erro neste gadget